• JOSEMARBESSA.COM

    Uma frase, um refrão ou uma ponte podem ser repetidos exaustivamente em um hino?



    Eu particularmente não gosto de repetições excessivas num hino, mas quero mostrar o perigo de se criar regras não bíblicas como padrão e tentar impor esse padrão as pessoas, até mesmo contrariando a Bíblia. O que é muito grave.


    O Salmo 136 tem um "refrão" (  Ou "ponte" na verdade)  repetido ao extremo  Rsrs – como eu disse, sei que hoje muitos "Mestres" sobre adoração, dizem que hinos não podem repetir e repetir uma frase... falam como se houvesse uma lei de Deus a respeito. – mas o salmista repete e repete e repete...


    A frase é repetida 26 vezes em 26 versos ( Imagine isso sendo cantado ). Cada uma dessas frases está vinculada a quem Deus é e ao que Ele tem feito na história. Sim, um homem vivendo nos dias do Antigo Testamento via a graça de Deus como grande parte dos cristãos hoje são incapazes de ver. E o salmista está com seus olhos fixos na graça e não acha repetitivo cantar e cantar e cantar sobre ela. Mesmo sob a possibilidade de ser chamado de repetitivo...

    É a hesed de Deus – palavra não muito fácil de capturarmos em sua completude, fazendo os tradutores usarem várias palavras para tentar passar seu significado – Fidelidade, amor compassivo, benignidade, ajuda ao desamparado e incapaz de se ajudar... em suma, o amor inabalável de Deus ( hesed ), é a GRAÇA!!!

    O Salmista, como todos nós deveríamos estar, está sobrecarregado com a perenidade da graça divina.
    Isso fica claro ao repetir 26 vezes – para muitos um exagero – olhe para isso graficamente:

    Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre Porque Sua benignidade dura para sempre.

    Enxergou o ponto? A graça de Deus é um atributo central que reflete Deus e tudo que Ele faz. É por isso que Paulo, muitos séculos depois, quando estava recapitulando tudo o que Deus fez para salvar um povo para si diz a razão: “Para o louvor da glória de Sua Graça” (Efésios 1.6). Ou seja, Paulo está dizendo que estamos predestinados para sermos filhos de Deus em Jesus Cristo “para o louvor da glória da Sua graça” – Paulo e o Salmista nos convida a louvar a Deus pelo que faz dEle um Redentor, “Sua gloriosa graça”. Não há louvor quando essa verdade não é central.

    O Salmo 136 é a canção de Efésios 1.6. A única resposta correta a natureza de Deus em suas ações na história eterna na exaltação da glória da Sua graça que redime um povo para sempre e sempre na eternidade manifestar a glória de Cristo.

    A única força que realmente importa na vida, é a força que flui de um coração que se alimenta diariamente da graça e confia todo o tempo na graça. Essa é a única “força” no homem na qual Deus se deleita – não a saúde física... quando chegamos ao momento da nossa morte, com um corpo falhando, fraco... Uma única coisa importa – estamos nutridos no altar da graça?

    Que tipo de coisa pode ser resposta a isso? GRATIDÃO!! Eis o que preenche o coração do salmista – é repetitivo? Só para quem não viu a graça de Deus.

    Três vezes no início (Sl 136.1-3) e uma vez no final (136.26) a resposta ao amor gracioso de Deus é dar graças... Não é exatamente isto que devia inundar cada culto em nossa geração? A resposta humana ( do coração regenerado ) ao caráter gracioso de Deus deve ser sempre OBRIGADO! Não é uma tragédia o quando as Doutrinas da Graça são combatidas pelos próprios homens que se dizem cristãos?

    A resposta a graça eterna é uma eternidade de agradecimento e louvor: “porque tua benignidade dura para sempre!”

    Ver a graça de Deus a cada dia tem o poder impressionante e incrível de fazer as piores circunstâncias se tornarem nas melhores notícias – começando pela própria cruz. O Salmista e Paulo estão dizendo ( e a igreja devia diariamente dizer o mesmo ) – Confie na graça de Deus. Não coloque sua confiança em si mesmo. Não coloque sua confiança no dinheiro. Não coloque sua confiança no governo. Não coloque sua confiança no seu trabalho... coloque sua confiança na graça de Deus e a deixa lá, “porque a sua benignidade dura para sempre”.

    O que você está cantando hoje??

    0 comentários:

    Postar um comentário

     

    ADORAÇÃO

    SERMÕES

    CHARLES H. SPURGEON