• JOSEMARBESSA.COM

    John Bunyan e nosso dever como pai.




    John Bunyan (1628-1688) foi um pastor e autor, mais famoso por ter escrito O Peregrino (1682). Na verdade escreveu vários grandes livros. Ele foi um dos mais influentes cristãos entre os Puritanos, e dos mais influentes na história da igreja. Ele passou doze anos e meio na prisão do condado de Bedford porque corajosamente se recusou a aceitar a liberdade em troca de seu silêncio na pregação. Era só dizer que não ia pregar, e ele poderia ir para casa. Mas preferiu ficar 12 anos preso do que ira para casa e não pregar. Bunyan era pobre e não tinha educação formal, mas produziu um dos livros mais lidos na história cristã e mais de sessenta outros volumes. Abaixo está um excelente conselho cristão de Bunyan sobre a paternidade. Eu adicionei os títulos e mudei algumas divisões de parágrafo, mas o resto é a escrita de Bunyan.

    [John Bunyan, Christian Behavior , vol. 2]


    Se tu és um pai, um pai ou uma mãe, então tu considerarás o teu chamado sob esta relação.


    Teus filhos têm almas, e devem ser regenerados por Deus, assim como de você, ou perecerão. E sabei também que, se não fores muito vigilante na tua conduta perante eles, perecerão por tua causa, cuja responsabilidade, é tanto instruí-los como os corrigir.


    Instrua-os.


    Primeiro, deve instruí-los como diz a Escritura e "educá-los na educação e admoestação do Senhor"; E diligentemente, "quando te assentares na tua casa, quando te deitares, e quando te levantas" ( Ef 6: 4 , Deu 6: 7).


    Agora, faça isso com propriedade:


    Faça em termos e palavras fáceis de ser entendidas: não use expressões elevadas, elas vão afogar teus filhos. Assim Deus falou aos seus filhos ( Oséias 12:10 ), e Paulo aos seus ( 1 Cor 3: 2 ).


    Tome cuidado de encha as suas cabeças com caprichos, legalismo e noções não lucrativas que fluem da graça, pois isso os fará muito cedo aprenderem a ser presas do auto-engano e orgulhosos, e não sóbrios e humildes que sabem depender totalmente da Graça soberana. Deixe claro para eles, portanto, o estado do homem por natureza; fale com eles do pecado, da morte e do inferno; De um Salvador crucificado e da promessa de vida pela fé: "Preparai um menino no caminho que deve seguir; e quando for velho, não se apartará dele" ( Provérbios 22: 6 ).


    Deve haver muita mansidão e paciência em todas as tuas instruções, para que não se desencorajem "(Colossenses 3:21 ). E, trabalhe para convencê-los por uma conversa responsável, que as coisas que você os ensina não são fábulas, mas realidades; Sim, e realidades tão acima do que pode ser aqui desfrutado, que todas as coisas, se fossem mil vezes melhores do que são, não seriam dignas de serem comparadas com a glória e dignidade destas coisas.


        Isaque era tão comprometido com Deus diante de seus filhos, que quando Jacó se lembrou de Deus, lembrou-se  “do Temor de seu pai Isaque' ( Gn 31:53 ). Ah! Como é precioso quando as crianças podem pensar em seus pais assim, e louvar a Deus por aquela instrução e o bem que receberam delas, isso não é só  proveitoso para os filhos, mas honroso e confortável para nós,  os pais: "O pai dos justos se alegrará grandemente; quem gerou uma criança sábia terá gozo dele "( Pv 23:24 , 25 ).


    Corrija-as.


    Em segundo lugar, O dever de correção.


    Veja primeiro se palavras justas vencerão o mal neles. Este é o caminho de Deus com seus filhos ( Jer 25: 4 , 5 ).


    Que essas palavras lhes sejam dadas em sua repreensão, sejam sóbrias, poucas e pertinentes, acrescentando sempre alguma sentença adequada da escritura com elas;, se eles mentem, então, use ( Ap 21: 8 , 27 ). Se  recusarem a ouvir a palavra, mostre ( 2 Cr 25: 14-16 ).


    Gaste tempo, olhe atentamente para eles e certifique-se que não sejam companheiros daqueles que são rudes e ímpios; Mostrando com sobriedade uma aversão contínua à sua maldade; Muitas vezes clamando com eles, não mostrando pouca contrariedade,  mas como Deus fez antigamente com seus filhos: “Ora, não façais esta coisa abominável que odeio.” ( Jer 44: 4 ).


    Que tudo isso seja misturado com tanto amor, piedade e compunção de espírito, que, se possível, possam estar convencidos de que não é que você não gosta deles de alguma forma, mas de seus pecados. Este é o caminho de Deus ( Salmos 99: 8 ).


    Esforcem-se com frequência para prender em suas consciências o dia de sua morte, e julgamento por vir. Assim também Deus lida com os seus filhos (Deut. 32:29).


    Se chegar a necessidade de usar  a vara, então use com prudência e sangue frio, e lhes mostre claramente com a vara,


    (1.) sua culpa;


    (2) quanto é duro para o teu coração lidar assim com eles;


    (3) e que o que tu fazes, é por tua consciência cativa a Deus, e em amor a suas almas;


    (4) e diga-lhes, que se os meios justos mostrados antes tivessem tido efeito, nenhuma  gravidade como essa deveria ter sido necessária. Isto, eu provei, será um meio de afligir seus corações, bem como seus corpos; E sendo a maneira que Deus lida com seus filhos, é a mais provável de realizar o fim desejado.


    Siga tudo isso com oração a Deus por eles, e deixe o assunto para Ele: "A insensatez está presa no coração de uma criança; Mas a vara da correção o afastará dele "( Pv 22:15 ).


    Cuidados.


    Por fim, observe estas precauções,


    Toma cuidado para que as transgressões porque tu corretamente tens repreendido os teus filhos não tenham sido aprendidas por eles contigo. Muitas crianças aprendem a maldade de seus pais e depois são castigados por eles.


    Tome cuidado para não encorajá-los minimizando pequenas faltas, para que a tua postura não lhes sirva de encorajamento para cometerem maiores.
    Tome cuidado, não uses palavras desagradáveis, grosseiras ​​e impróprias em teus castigos a eles: isto é diabólico.



    Tome cuidado para não usar muitas palavras e ameaças constantes, misturadas com  leveza e risos ao mesmo tempo; Isso vai endurecer o coração deles. Não fale muito, nem muitas vezes, mas seja pertinente com toda a gravidade necessária.

    Artigo by http://www.josemarbessa.com/

    0 comentários:

    Postar um comentário

     

    ADORAÇÃO

    SERMÕES

    CHARLES H. SPURGEON