• JOSEMARBESSA.COM

    Pregação relevante? Pregue sobre o Pecado a justiça e o juízo!





    Por quê?


    1) O pecado é completamente anti Deus em sua natureza...



    O pecado é totalmente pró-Ego.

    Uma tentativa fútil de declarar independência de Deus.

    Desejo do homem de se entronizar como deus de si mesmo.

    Um “roubar” diário da glória de Deus.


    Uma afastamento de Deus, fonte de toda alegria infinita e real.

    É oposição a Deus, o doador de todo prazer não pode ser medido.

    É rebelião contra Deus, governante justo e santo, que por isso se comprometeu julgá-lo e puni-lo.

    É a degradação do homem, que foi feito a imagem do Deus santo e eternamente Feliz!




    2) O pecado é totalmente destruidor em seus efeitos:



    Olhe para o mundo – todas as divisões, confusões, guerras, doenças, derramamento de sangue e crueldade... são suas marcas indeléveis.

    Olhe para as famílias – Toda a raiva, ressentimento, ciúme, inimizade, falta de amor... são as marcas de suas garras.

    Olhe para os indivíduos – todo sofrimento do corpo, todas as torturas da alma, todas as tristezas do tempo, todas as agonias da eternidade – são seus frutos maduros.

    Olhe mesmo para os salvos – toda a sua peleja e bom combate, conflitos, dor profunda... são ainda por viverem em combate contra a carne, o mundo e satanás...

    De fato cada suspiro em cada peito – mesmo quando Deus se tornou homem e andou no mundo, cada dor no Salvador – foi o pecado.

    Todos os gemidos de todos os corações partidos, cada exclamação de angústia humana – tudo fruto do pecado.

    O profeta diz que o pecado é amargo porque “atinge até o seu coração!” O pecado não é de forma alguma uma ferida na carne, mas uma doença do coração. Lá foi concebido, lá é alimentado, e dali flui.


    A conclusão é terrível! Na verdade, o coração do homem é a coisa mais repugnante e poluída no universo de Deus! Sua poluição, a partir do coração, contaminou o universo inteiro. Não há nada tão mau ou abominável na terra ou no inferno – do que esse mau nascido no coração do homem.


    Ao chegar ao coração humano o pecado o alienou completamente de Deus. O que fez esse coração não ter qualquer simpatia para com Deus e seu caráter santo. Nenhum desejo de agradá-lo. Nenhum medo de ofendê-lo. O homem tem medo da punição quando devia ter medo do pecado, mas ele o ama.


    No coração do pecado não há nenhuma verdadeira paz estabelecida, nenhuma calma santa, nenhuma satisfação tranquila. A paixões turbulentas, consciência contaminada, vontade depravada, entendimento obscurecido. A memória se tornou um porão, um depósito do mal. Na verdade todos os poderes e faculdades da alma foram pervertidos e são erroneamente escravizados pelo pecado.

    O pecado ao chegar ao coração, o condenou! Ele não vai ser, ele já está condenado. E se a Graça soberana não o impedir – a sentença de condenação será executada e então o coração se tornará para sempre a sede da agonia terrível, da dor mais torturante, do mais terrível desespero... para sempre!

    Jeremias estava certo: “É amargo porque atinge até o coração!” – Essa é a descrição do pecado tão amado pelo homem. É tão amargo que nenhuma língua ou linguagem humana pode descrevê-lo com justiça. E esse amargor está na sede da vida, portanto, contamina toda a pessoa, desvia cada ato, expõe todo homem a ira e maldição de Deus para sempre.

    Por causa dele o Salvador nasceu no mundo...

    Agora, existe um outro assunto que devia estar em pauta constante na agenda da igreja? Existe um outro problema que devia estar sendo combatida?...

    O pecado jamais será parte da agendo do mundo, e quando da igreja resolve segui-la, se torna inútil!

    0 comentários:

    Postar um comentário

     

    ADORAÇÃO

    SERMÕES

    CHARLES H. SPURGEON