• JOSEMARBESSA.COM

    ἐκκλησία – A igreja do “eu mesmo” é heresia!





    Eu não sou a igreja e você não é a igreja. Você é parte da igreja. A palavra κκλησία ( ekklesia ) significa "assembléia", e não, você não é realmente uma assembléia. Você é um cristão. De todos os 112 casos no Novo Testamento onde "ekklesia" se refere à instituição fundada por Cristo, em todos, exceto em cinco (por exemplo, se referindo a igreja - "ekklesia" - se referindo a uma assembléia futura Efe. 5:25-32 e Heb. 12:23) - refere-se a uma igreja particular, concreta, local, ou a uma pluralidade de igrejas semelhantes, como "a igreja que estava em Jerusalém" (Atos 8:1); "todas as igrejas dos gentios" (Rom. 16:4); "as igrejas da Macedônia" (2 Cor. 8:1); "a igreja em tua casa" (Filemon 2); e "as igrejas de Deus" (2 Tess. 1:4).


    A raiz do problema hoje não é falta de clareza bíblica, a raiz é um problema de autoridade. Não gostar de se sentar e escutar enquanto outra pessoa fala. Não gostar da ideia de liderança. Ânsia por ser um “rebelde revolucionário”. Não gostar do comprometimento, do compromisso, de ser responsável... Não há nada de bíblico nisso, mas exatamente o oposto do ensino bíblico.


    Nossa raça foi infectada por um a vírus anti-autoridade quando nossos pais ouviram no Jardim do éden: “Sereis como deuses”. Mas conversão, conversão verdadeira, trata e extermina este vírus.


    Arrependimento bíblico não é pedir desculpas a Deus e depois tentar "cristianizar" todos os seus gostos, desejos, tribo...

    O arrependimento bíblico consiste em uma transformação radical de pensamento, atitude, perspectivas e direção .... Arrependimento bíblico é uma mudança do pecado para Deus e seu serviço, Cristo o Senhor, eu o escravo. É a morte do Eu, do viver para mim - para tomar a cruz e negar a mim mesmo.

    Arrependimento é uma revolução no que é mais determinante na personalidade humana e é o reflexo na consciência de a mudança radical operada pelo Espírito Santo na Regeneração.


    Mas o homem natural é – Só você, só você... como você quer... exatamente por ser livre disso o homem regenerado se torna um membro do corpo de Cristo que é a igreja – Você prefere ficar em casa, ser cristão virtual, assistindo vídeos, quando quiser, onde quiser... nenhum povo “chato” no qual você tenha que exercer a paciência, longanimidade, amor... sem necessidade de se ajustar... Só você, você, você... Mas Jesus – O Senhor – ordena estar uma igreja local, juntar-se a igreja, participar da igreja, congregar ( em Corinto, Galácia, Éfeso, Colossos, Tessalônica, Laodicéia... Seu bairro, outro bairro...), ter uma liderança humana como ( Timóteo, Tiago, João, Silas, Barnabé... pastores, presbíteros...) – Esse é o problema, Cristo é o Senhor! A igreja lhe pertence, ele determina o que e o como da igreja... Ele é o Senhor em realidade ou teoria? Ele é apenas um colegar de debates? Ele é Senhor quando é conveniente, ou não? É o nosso Ego que controla os limites do Senhorio de Cristo.


    Eu posso falar com confiança, Deus não permita que alguém use o meu blog, os textos, os sermões postados em vídeo... como um substituto da ordem de Cristo, como um substituto para não obedecer a Cristo envolvendo-se na comunhão da igreja local de Cristo.

    1 comentários:

    1. Josemar Bessa!
      Você erra em confundir alguns conceitos. O primeiro é defender a ideia de que individualmente não somos igreja e o segundo é achar que em todos os casos de que alguém não “congrega” formalmente é por que não quer se submeter.
      Primeiro:
      A igreja é um corpo e como tal é um organismo e não uma organização. O congregar é estar em comunhão e estar em comunhão não se resume, ou melhor, “não é” frequentar regularmente um templo a fim de ouvir uma pregação e entoar louvores, pois isso não tem nada a ver com ter um relacionamento com Cristo e com seu corpo;
      Segundo:
      A igreja nunca foi fundada sobre pilares de uma “autoridade” eclesiástica institucional e o caráter episcopal como determinação de cargos e funções superiores, surgiu bem depois da morte dos apóstolos. O que existia era sim um episcopado espiritual e não institucional. Era uma mentoria de responsabilidade discipular e não hierárquica. Assim, dizer que quem não congrega nos moldes “tradicionais”, é por que não se submete a autoridade é uma demonstração de ignorância.
      A Palavra ensina que a autoridade espiritual de um líder é um reconhecimento de um dom dado por Deus, da parte quem se submete à essa autoridade, a qual é fruto de convívio e comunhão verdadeira. Repito: Essa autoridade é um reconhecimento que nasce do respeito conquistado com comunhão (convívio), e não uma imposição institucional.
      A Bíblia, a história e o caos institucional atual confirmam minhas palavras. Se não concorda, tenha essa liberdade, mas não coloque todos numa vala comum!
      Pedro Garcez

      ResponderExcluir

     

    ADORAÇÃO

    SERMÕES

    CHARLES H. SPURGEON