• JOSEMARBESSA.COM

    Justos pela fé somente – Martinho Lutero (1483-1546)




    “Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê”. 
    (Rm 10. 5)

    Devemos manter bem firme a posição de que a fé, sem qualquer cooperação de obras ou merecimento humano, reconcilia o homem com Deus e o torna justo, como Paulo diz aos romanos (3.28): “Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei”. Este e outros versículos que ensinam a mesma coisa devem ser mantidos e sobre eles devemos nos basear com toda firmeza, a saber, que o perdão de pecados e a justificação são apropriados pela fé somente, ficando de todo excluídas as obras.




    Considere a comparação que Cristo faz em Mateus 7.17: “Toda árvore boa produz bons frutos, porém, a árvore má produz frutos maus”. Aqui, você percebe que não são os frutos que tornam a árvore boa. A árvore, sem e antes de produzir qualquer fruto, tem que ser boa ou deve ser tornada boa para que possa produzir bons frutos.



    Assim também é a pura verdade que o homem precisa ser justo, sem a participação de boas obras, antes de praticar boas obras.



    Dessa forma está definitivamente provado que precisa haver algo maior e mais precioso do que quaisquer boas obras para tornar o homem justo e bom antes de ele poder fazer o que é bom, da mesma forma como ele precisa, antes de mais nada, ter saúde física antes de trabalhar e realizar um bom serviço. Esta coisa grande e preciosa é a nobre palavra de Deus em Cristo. Quem ouve esta mensagem e nela crê, esse se torna santo e justo através dela. Por isso ela também é chamada palavra da vida, palavra da graça, palavra do perdão. Quem, porém, não ouve esta mensagem, nem crê, esse, de forma alguma, pode ser salvo.

    0 comentários:

    Postar um comentário

     

    ADORAÇÃO

    SERMÕES

    CHARLES H. SPURGEON